Osteopatia para adultos e crianças

A especialidade

Structural-Osteopathy.jpg
photodune-1928865-baby-massage-l-1024x68

O tratamento é baseado no exame clínico e no diagnóstico osteopata que conduz a um ato terapêutico osteopático.

Como funciona?

Através de técnicas manuais e tendo como objetivo reestabelecer a mobilidade perdida e reequilibrar o sistema músculo-esquelético, sacro-craniano e visceral, mantendo a elasticidade do tecido conjuntivo.

Em que situações?

 - Em todos os problemas do aparelho locomotor, da coluna  vertebral,        articulações, ligamentos e fascias.

 - Lesões da coluna: Cervicalgias, lombalgias, hérnias discais,  ciáticas.

 - Lesões desportivas: entorses, luxações, contraturas, stress  muscular.

 - Patologias músculo-esqueléticas: artroses, artrites, etc...

 - Transtornos da esfera crânio-cervical: cefaleias, torcicolos, vertigens.

 - Transtornos digestivos, circulatórios e respiratórios.

 - Transtornos nervosos e psicossomáticos.

Vantagens:

 - Aplicação em qualquer idade;

 - Melhora a postura;

 - Retarda os sintomas de desgastes articulares;

 - Elimina a dor e melhora a mobilidade articular;

 - Estimula a força e a flexibilidade;

A quem se dirige:

 - Nos cuidados de pré e pós-maternidade

 - No pós-parto

 - Nos recém nascidos 

 - Nos adolescentes

Por quê?

 - Muitas parturientes manifestam desconforto e dores associadas à gravidez e ao parto e no terminus.

 - Os cuidados osteopáticos na mulher grávida e no pré e pós-parto, incidindo na estrutura osteo-ligamentar da mãe (coluna, pélvis, articulações e tecidos moles), ajudam a resolver os problemas associados com:

 - Alterações da postura

 - Aumento de peso

 - Stress em vários ligamentos e tecidos do útero

 - Desequilíbrio da cintura pélvica

 

No recém-nascido

A osteopatia pediátrica ajuda a resolver alterações e traumas a que o bebe é sujeito.

O parto é um dos acontecimentos mais importantes e traumatizantes na vida das mulheres do qual o bebe não fica isento.

O feto é sujeito a enormes pressões no útero devido à forças exercidas pela mãe na expulsão.

Durante a fase de expulsão, o bebe sofre torções e movimentos de rotação que provocam o desajustamento nos ossos do crânio, podendo originar deformações e tensões na cabeça do recém-nascido.

 Essas desadaptações provocam alterações biomecânicas e posturais como:

 - Desequilíbrio cefálico e torcicolos

 - Dificuldades na amamentação

 - Alterações do sono

 - Irritabilidade e choro excessivo

 - refluxo, cólicas e prisão de ventre.

 - Alterações dos ossos da face e crânio.

Faça o agendamento online.
É fácil, rápido e seguro.